Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casepaga

casepaga

01.08.14

...


antonio garrochinho

A primavera segurista

«Eu considero que Portugal deve ter um primeiro-ministro para todas as estações, isto é quando faz bom tempo e quando faz tempestade e não primeiros-ministros que estão à espera do bom tempo, mas que da tempestade se resguardam».

Pelo discurso de Seguro conclui-se que graças ao seu trabalho na liderança do partido já passou a tempestade e daqui em diante vem bom tempo, um tempo de vacas gordas. Se alguém pretendesse ridicularizar António José Seguro mandava-lhe dizer o que ele disse à revista Visão, numa reportagem onde se apresenta um conjunto de imagens ridículos, tentando transformar um betinho que passou uma boa parte da sua vida nos palacetes da capital num homem do povo, num rural.
  
Quem ouve Seguro corre um sério risco de pensar que a política económica conduzida nos últimos três anos e que foi ele o primeiro-ministro durante este tempo. Como Seguro não foi primeiro-ministro desta estranha declaração resulta que ele faz sua a política seguida peola pior das direitas e considera que essa política foi um grande sucesso.
  
O grande mal de Seguro é precisamente o de gostar de se imaginar como primeiro-ministro ou, pelo menos, ministro, nem que seja o vice do vice de Passos Coelho. Passos Coelho conhece-lhe esse tique e de vez em quando gosta de lhe dar algum protagonismo convidando-os para conversas em São Bento. O resultado são horas e horas de que nada resultam pois Seguro não sabe como convencer o seu partido. É por isso que acaba com divergências insanáveis que ninguém sabe quais são.
  
Aquilo a que Seguro são bons tempos é um país à beira de uma crise de nervos devido ao caso BES, uma taxa de desemprego nunca vista, um crescimento económico anoréxico, uma dívida soberana superior a 130% e a necessidade de comprimir a despesa pública para se cumprir um pacto de estabilidade que ele próprio aprovou. Só um irresponsável pode dizer disparates destes.


jumento.blogspot.pt

01.08.14

Parece neve, mas é a pior coisa que você poderia imaginar,


antonio garrochinho

Parece neve, mas é a pior coisa que você poderia imaginar, veja:


SHARE    

Esta parece uma fazenda pacífica, com um campo cheio de neve, masna verdade é a pior coisa que você poderia imaginar: essas terras foram completamente tomadas por milhões e milhões de aranhas. Tudo aconteceu por causa de uma horrível inundação na Austrália que fez mais de 13 mil pessoas abandonarem suas casas. Veja:
teia de aranha fazenda

fazenda teia de aranha

fazenda teia de aranha

Infelizmente, as pessoas não foram as únicas a evacuar. Aranhas também estão correndo para as montanhas, fazendo com terras fiquem literalmente cobertas em suas teias.

fazenda teia de aranha

É difícil ir a qualquer lugar sem se deparar com um bocado de aranhas.

fazenda teia de aranha
fazenda teia de aranha
fazenda teia de aranha

Uma vez que a inundações ao longo das margens do rio baixaram, as aranhas devem voltar para casa.

fazenda teia de aranha
fazenda teia de aranha

Ou os agricultores terão muito trabalho para expulsá-las dali.

fazenda teia de aranha
fazenda teia de aranha
fazenda teia de aranha
fazenda teia de aranha
fazenda teia de aranha
Não sei você, mas eu tenho #aracnofobia ! Apesar de saber que Aranhas são criaturas interessantes. Não atacam os seres humanos a não ser se forem ameaçadas. Mas..

mundopocket.com.br

01.08.14

OLHÓ AVANTE ! - O capitalismo mata ! - O mundo está em guerra. Ucrânia, Líbia, Iraque, Síria, Afeganistão, Sudão, Nigéria, Costa do Marfim, Mali, são apenas alguns exemplos.


antonio garrochinho

OLHÓ AVANTE !





O capitalismo mata!

O mundo está em guerra. Ucrânia, Líbia, Iraque, Síria, Afeganistão, Sudão, Nigéria, Costa do Marfim, Mali, são apenas alguns exemplos. Povos como o palestiniano, o saharaui e o cipriota continuam a ver negados os seus direitos nacionais. Na Palestina, Israel prossegue o banho de sangue impunemente. O mundo está muito perigoso. Mas mais importante do que constatar os factos é compreender as razões. O mundo vive perigoso porque está mais injusto, desigual, instável e mergulhado numa crise do sistema que o domina.
E não somos apenas nós que o demonstramos. O PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) apresentou no passado dia 24 o seu Relatório Anual. Nele podemos constatar que o índice de desenvolvimento humano decresceu em todas as regiões do mundo e que um terço da população mundial é pobre ou vive em condições vulneráveis à pobreza. Neste mundo, pelo menos 842 milhões de pessoas vão para a cama ao fim do dia sem terem comido nada nesse dia e metade dos trabalhadores não têm vínculos laborais seguros ou são empregados no sector informal. Em pleno século XXI a maioria das pessoas do mundo não tem acesso a mecanismos de protecção social como pensões e subsídios de desemprego, 1500 milhões vivem na chamada «pobreza multidimensional» e destes, 1200 milhões sobrevivem com menos de um dólar por dia.Mas a riqueza existe! Estima-se que o 1% da população tenha uma riqueza calculada em 110 biliões (milhões de milhões) de dólares, o equivalente à riqueza combinada da metade da população (3,5 mil milhões de pessoas!) mundial mais pobre. Uma riqueza que em parte (32 biliões de dólares) está «a salvo» de impostos, «depositada» numa rede mundial de bancos em offshore. O mundo onde existem hoje 21 milhões de escravos é o mesmo em que desde a Segunda Guerra Mundial acontecerem 248 conflitos armados, 201 dos quais iniciados pelos EUA e aliados, que mataram 30 milhões de pessoas.O mundo está em guerra porque quem o domina vive da exploração, da opressão e da violência. É que, como já dissemos outras vezes neste espaço, o capitalismo mata, e de diversas formas! Mas a luta dos povos porá fim à guerra e à sua razão de fundo – a exploração e a opressão capitalistas!

Ângelo Alves

01.08.14

Travessia de Lisboa a Nado em 1927 - A “VII Travessia de Lisboa” a nado, entre Xabregas e Algés, numa distância de 12 quilómetros, teve lugar a 21 de Agosto de 1927. A realização deste evento foi promovida, mais uma vez , pelo “Sport Algés e


antonio garrochinho

Travessia de Lisboa a Nado em 1927

“VII Travessia de Lisboa” a nado, entre Xabregas e Algés, numa distância de 12 quilómetros, teve lugar a 21 de Agosto de 1927. A realização deste evento foi promovida, mais uma vez , pelo “Sport Algés e Dafundo”, responsável pelos seis eventos anteriores desde 1921.
Partida da “Travessia de Lisboa” em Xabregas

                       Passagem por Santa Apolónia …                                                … e pelo Terreiro do Paço

Chegada a Algés
A edição de 1927 foi ganha pelo nadador Moitinho de Almeida, do “Sport Algés e Dafundo”. tendo percorrido a distância de 12 quilómetros, em: 2h 26m 35s.
Notícia do evento do “Diario Lisbôa”
Aproveito, para publicar um apontamento histórico, de 1954, do  “Sport Algés e Dafundo” , actualmente ainda em actividade, e três fotos das suas instalações no passado.
“Estádio Náutico”  projectado pelo arquitecto Raúl Tojal

  “Cinema Stadium” projectado pelo arquitecto Raúl Tojal em 1930
39º Aniversário do “Sport Algés e Dafundo”, em 1954
Logotipo actual do “Sport Algés e Dafundo”


restosdecoleccao.blogspot.pt

01.08.14

ESCONDER/CAMUFLAR - (Opinião) Centro Hospitalar … exprimir uma maior indignação profissional e cívica? Passos Coelho e Paulo Portas, com destaque para o vice-primeiro-ministro, iniciaram, desde esta primavera, uma campanha de “boas notícias” p


antonio garrochinho

(Opinião) Centro Hospitalar … exprimir uma maior indignação profissional e cívica?

Passos Coelho e Paulo Portas, com destaque para o vice-primeiro-ministro, iniciaram, desde esta primavera, uma campanha de “boas notícias” para a economia portuguesa e o emprego. O objetivo não tem sido apenas o de dissimular os dados reais, preocupantes, do Eurostat, do INE ou da UTAO. Mais do que isso, a ideia principal é a de justificar que a austeridade estava certa e valeu a pena. É um erro, no meu entender, tentar dizer às pessoas o que elas não sentem.
Ainda hoje, o INE, revela quea economia portuguesa está a regredir. Por exemplo, o Índice de “Volume de Negócios no Comércio a Retalho” desacelerou em junho, passando de uma variação homóloga de 1,8% em maio para 0,1%. Comparando com o mês anterior, este indicador, deflacionado, registou uma redução de 1,3% em junho.
Outro dado, também conhecido hoje, o do “Índice de Produção Industrial”: apresentou uma variação homóloga de -0,2% em junho (0,2% em maio).
Se a estas notícias adicionarmos as anteriores, das fontes oficiais referidas, verificamos que estamos pior e que só assim se explica que a percentagem de endividamento do país, com esta maioria de direita, tenha passado de 94 para 133 por cento. E o mais trágico é que não há nenhuma nova obra. Apenas endividamento.

Tudo isto se reflete na saúde. Há dias tivemos o episódio do hospital universitário de S. João, com a demissão em bloco de mais de seis dezenas de dirigentes. O Governo recuou, refinanciou e restituiu alguma autonomia de gestão aos profissionais. Tudo pela força!
Ao escrever estas linhas não esqueço o abaixo-assinado, dado à estampa pela comunicação social, dos profissionais do hospital Garcia da Horta que revela, tal como há cerca de dois meses pude constatar em audição pública, no Algarve, falta de recursos humanos e materiais para poderem ser assegurados cuidados fundamentais aos utentes do SNS.
Em Viseu, no Centro Hospitalar, no passado mês de Junho, e passo a citar …uma representação da OE, liderada pelo próprio Bastonário, Germano Couto, realizou visitas institucionais a vários serviços, e a situação encontrada foi de não preenchimento da maioria dos requisitos considerados necessários ao seu funcionamento”.
Disse Bastonário … ou são contratados enfermeiros, ou o hospital terá de abater camas de internamento, para as adequar ao número de profissionais de que dispõe, e que estão estabelecidas como dotação segura".
Continuando a citar, "A Ordem dos Enfermeiros defende veementemente o fecho de camas neste hospital, porque não é possível prestar cuidados com falta de enfermeiros, sem lesar as populações".
A degradação do SNS já atinge todo o país. Não se perdoa a um governo e a um ministro (que cortaram mais 61% do que era exigido no memorando), esta incompetência funcional. Não fosse o esforço de todos os profissionais e a situação vivida seria ainda mais insustentável. Será que para a resolver, também no nosso Centro Hospitalar, é necessário exprimir uma maior indignação profissional e cívica?
gotadeagua53.blogspot.ptDV 2014-07-30

01.08.14

VAMOS LÁ A NÃO FALAR MAL DO SENHOR VINHO !!!! - Adega do Monte Branco não gosta de ver marca associada a crime


antonio garrochinho

Adega do Monte Branco não gosta de ver marca associada a crime

A Adega do Monte Branco está indignada com a utilização do seu nome num processo de investigação de branqueamento de capitais e crimes financeiros.
 
foto DR
Adega do Monte Branco não gosta de ver marca associada a crime
 


"A utilização desta sua denominação pode colocar em causa as trocas comerciais colocando em risco o seu bom nome e do seu produto", diz o produtor de vinho de Estremoz que, desde 2004, tem produzido vinho com as marcas "Monte Branco" e "Alento", dizem em nota enviada às redações.
"Houve insensibilidade na escolha do nome que designa esta operação tão delicada. Ler em jornais e nos vários meios de comunicação social que a operação "Monte Branco" fez branqueamento de milhões de euros, pode confundir os consumidores e os nossos parceiros", diz Luís Louro, proprietário da Adega do Monte Branco, citado em nota de imprensa.
"Reservamos o direito a reagir a este tipo de situações e deverá no futuro haver mais cuidado para que estes títulos não arrastem nenhuma instituição credível para situações que possam gerar confusão quer no mercado nacional quer no internacional", continua.
A Adega "orienta-se pelos princípios legais das entidades que regulam a atividade vitivinícola e empresarial do nosso país e declara-se cumpridora das suas obrigações fiscais"
.

01.08.14

O ESTRÓINA BON VIVANT FOI CONDUZIDO NO TACHO DA SANTA CASA DA MESIRICÓRDIA -Santana Lopes reconduzido pelo Governo à frente da Santa Casa da Misericórdia


antonio garrochinho

Santana Lopes reconduzido pelo Governo à frente da Santa Casa da Misericórdia


O executivo liderado por Pedro Passos Coelho anunciou, esta quinta-feira, a recondução de Santana Lopes no cargo de provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML), função que desempenha há três anos.

Numa nota divulgada pelo gabinete do primeiro-ministro pode ler-se o seguinte: «Considerando o muito relevante trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, o primeiro-ministro e o ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social convidaram o Dr. Pedro Santana Lopes para continuar a desempenhar o cargo de Provedor. Foi também endereçado convite semelhante aos restantes membros da mesa desta instituição.»

Além disso, na nota é referido, que nos estatutos da SCML, o provedor é nomeado por despacho do primeiro-ministro e do ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social.

01.08.14

ORA CÁ ELE, O SERVILISTA E CÃO DE FILA DO CAPITAL ! - Carlos Moedas indicado para comissário europeu Governo optou pelo actual secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro e já comunicou decisão a Bruxelas


antonio garrochinho


Carlos Moedas indicado para comissário europeu

Governo optou pelo actual secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro e já comunicou decisão a Bruxelas



Depois de ter sido um dos rostos do Governo nas negociações com a troika ao longo do período em que o país esteve sob assistência financeira, o secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro, Carlos Moedas, deixa Lisboa e segue para Bruxelas, indicado pelo executivo para membro da Comissão Europeia.
Moedas irá assim integrar o novo executivo europeu liderado pelo recém-eleito presidente, o luxemburguês Jean-Claude Juncker, sucessor no cargo de Durão Barroso. A decisão do Governo português já terá sido comunicada, segundo informações que estão a ser adiantadas pela Lusa, que cita uma fonte não identificada do gabinete de Passos Coelho.
De acordo com a biografia disponível no portal do governo, Carlos Moedas nasceu em Beja, em 1970, é licenciado em Engenharia Civil pelo Instituto Superior Técnico (Lisboa) e tem um MBA pela Harvard Business School (EUA).
Depois de ter trabalhado em Paris até 1998, e de ter feito a sua formação naquela escola norte-americana, passou pelo banco Goldman Sachs e regressou a Portugal em 2004, como administrador-delegado da Aguirre Newman. Em 2008, criou a sua própria empresa de investimentos.
Moedas esteve pelo PSD na negociação do Orçamento do Estado de 2011 e foi, como destaca o portal, "um dos representantes do partido nos encontros com a delegação da UE-FMI-BCE" para a negociação do resgate internacional de Portugal.

01.08.14

ELES ESPIAM-SE A SI PRÓPRIOS - ESTADOS UNIDOS - CIA pede desculpa por espiar Senado norte-americano


antonio garrochinho

ESTADOS UNIDOS

CIA pede desculpa por espiar Senado norte-americano


O diretor da CIA (agência norte-americana de serviços secretos externos) pediu desculpa aos senadores norte-americanos depois de uma investigação ter confirmado acusações de que agentes tinham acedido "indevidamente" aos computadores do Senado, indicou hoje aquela agência.
Em março, o diretor da CIA, John Brennan, rejeitou acusações segundo as quais a agência teria espiado investigadores da comissão de informações do Senado em busca de provas de possível tortura, declarando: "Nada poderia estar mais longe da verdade".
Mas hoje, num súbito 'volte-face', a agência de informações norte-americana confirmou que uma investigação feita pelo seu próprio inspetor-geral confirmou que alguns agentes tinham realmente agido além da respetiva autoridade. 
Um porta-voz indicou que Brennan se reuniu com a presidente do Senat Select Committee on Intelligence (SSCI, Comissão sobre Informações Criada pelo Senado), a senadora Dianne Feinstein e o seu adjunto "e lhes pediram desculpa". 
O escândalo gira em torno de um arquivo informático, RDINet, instalado pela CIA num edifício seguro no Estado da Virginia para disponibilizar documentos secretos aos membros do Senado que estavam a investigar acusações de que aquela agência governamental teria torturado prisioneiros entre 2002 e 2006. 
Em março, Feinstein acusou furiosamente a CIA de ter penetrado nesse arquivo durante a investigação do Senado, numa aparente violação da separação entre os poderes governamentais legislativo e executivo consagrada na Constituição. 
Hoje, a agência admitiu que "alguns funcionários da CIA agiram de forma inconsistente com o acordo estabelecido entre a SSCI e a CIA em 2009 no que diz respeito ao acesso à RDINet". 
O porta-voz da CIA, Dean Boyd, indicou que um novo inquérito -- conduzido por um "painel para apurar responsabilidades" com o poder de punir agentes -- será ordenado sob a direção do antigo senador Evan Bayh. 
A investigação conduzida pela comissão entre 2009-20012 produziu um relatório secreto de 6.300 páginas sobre "técnicas avançadas de interrogatório" -- incluindo algumas habitualmente consideradas tortura, como 'waterboarding' (técnica que consiste em submergir repetidamente a cabeça dos detidos em água para obrigá-los a confessar) -- utilizadas pela CIA nos primeiros anos da chamada "Guerra contra o Terrorismo".  
Em teoria, o relatório deveria eventualmente acabar por deixar de ser secreto e por ser tornado público, mas o Governo do atual Presidente norte-americano, Barack Obama, ainda não iniciou o processo para que tal aconteça. 

Pág. 42/42