Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casepaga

casepaga

30.06.15

A HIPOCRISIA DO SENHOR JUNKER


antonio garrochinho

A HIPOCRISIA DO SENHOR JUNKER

Afinal os actores de pacotilha, de que falámos no post anterior, voltaram a pôr máscaras, fazendo deslizar a tragédia para a comédia, pura e dura. O principal a afivelar a máscara da hipocrisia foi o senhor Junker, que compôs um ar de consternação (faltaram-lhe como efeito especial lágrimas de crocodilo!), com imensa pena (iria dizer:piedade) do povo grego, para criticar severamente o governo de Tsipras, que teve a ousadia de convocar um referendo para que os gregos digam se aceitam ou não as medidas propostas por Bruxelas. Teríamos assim, segundo Junker, um governo mal agradecido e traidor (palavra sua), que se recusa a prosseguir (ou pelo menos questiona politicamente) os excelentes resultados de pobreza e desgraça que a Troika e o Eurogrupo, nestes quase seis anos instalaram na Grécia. O presidente da Comissão esquece-se dessa realidade fundamental. Que problemas resolveram as instituições europeias na Grécia? Estão melhor, ou a Troika fez do país um cadáver adiado? Quantos suicídios, quanto desemprego, quanta pobreza, quantas famílias destruídas, quantas esperanças assassinadas. Era disso que Junker devia falar, mas não fala. Que honradez têm estes sujeitos, que depois dos estrondosos desastres sociais vieram pedir desculpa pelos erros, e depois querem prosseguir os crimes de destruição de todas as conquistas sociais que a Europa construiu? Eles não sabem de História, nem de política internacional. Falam, apenas, de números, como se não fosse esta uma questão política essencial da construção europeia, com um singularíssimo contexto geoestratégico.
Patético, mas no plano local, foi outro figurante secundário: Cavaco Silva. Que nódoa!


www.fernandopaulouro.com

30.06.15

VEJA A INTERESSANTE OBRA DESTE ARTISTA - As esculturas de arame de figuras nuas de Seungmo Park


antonio garrochinho

As esculturas de arame de figuras nuas de Seungmo Park

O artista coreano Seungmo Park produz esculturas em que enrola fios de arame, de variados metais, na parte exterior das esculturas, criando uma textura metálica para elas. Dentre seus trabalhos, algumas das esculturas são de pessoas nuas, tanto homens quanto mulheres. Apesar do bom nível de detalhamento destas esculturas nuas, que acabam se parecendo bastante com manequins metalizados sem roupa, o trabalho de Seungmo Park vale mais pela curiosidade do que pela sensualidade.

Vejam as esculturas de arame de figuras nuas de Seungmo Park:


Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW

Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW

Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW

Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW

Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW

Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW

Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW

Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW

Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW

Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW

Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW

Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW

Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW

Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW

Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW

Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW

Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW

Seungmo Park esculturas feitas de arame corpos nus NSFW


andarilho-nsfw.blogspot.pt

30.06.15

As foto-manipulações digitais surreais de mulheres sensuais de Kassandra Elka Vizerskaya


antonio garrochinho

As foto-manipulações digitais surreais de mulheres sensuais de Kassandra Elka Vizerskaya



Vizerskaya é uma artista que fotografa e manipula digitalmente as fotos, criando mundos surreais. Suas retratadas são principalmente mulheres, que naturalmente sensuais, criam um clima de surrealismo e sensualidade nas fotografias. 




Abaixo, vejam uma parte do trabalho de Kassandra:

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

Vestido de céu e mar.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

Vestido de jornal pegando fogo.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

No barco de papel.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

O tempo voa.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

Lavando cachorrinhos.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

Freira de chocolate.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

Beijo no encontro de fogo e água.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

Rainha pescando na banheira.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

Café.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

Bicicletas recursivas.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

Borboletas de café e leite.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

Agora são borboletas vermelhas do batom.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

Torcendo o mundo (a la fotografias de prédios de Nicholas Kennedy Sitton).

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

No jardim.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

Beijo.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

Gaivotas.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

Dois mundos e a natureza.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

Zebra.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

Vestido de grama.

kassandra elka vizerskaya fotografia manipulação digital mulheres sensuais surreal

Um beijo em movimento.


estou-sem.blogspot.pt

30.06.15

A PINTURA DE REMY DAZA


antonio garrochinho

DWC pintura figurativa - Artista Remy Daza Rojas


Remy Daza Rojas, pintor boliviano, nasceu em Cochabamba. Ele estudou na Escola de Belas Artes "Ernesto de la Carcova em Buenos Aires, Argentina.

 

Fez a partir de 1973 diversas exposições individuais e coletivas nas principais cidades da Bolívia e no exterior.


Sua obra recebeu inúmeros prémios e elogios. Entre as mais recentes: Único Nacional Award 1995 en Pintura XLIII Pedro Domingo Murillo-Salón La Paz, Bolívia, e em 1990, 1989, 1983, 1981 Gran Premio Nacional en Pintura Salón Pedro Domingo Murillo La- Paz, Bolívia.

 
Remy apresentou seu trabalho em dois grupos: uma mostra realizada pela  em setembro de 1995 e em 1996 Taipinquiri. E depois, ele participou de inúmeras exposições individuais . Dada a qualidade das propostas também participou de exposições internacionais.










danceswithcolors.blogspot.com

30.06.15

Candidato-ninja' interrompe debate com Sampaio da Nóvoa


antonio garrochinho

Candidato-ninja' interrompe debate com 

Sampaio da Nóvoa


O 'candidato-ninja', que surgiu nas eleições 

autárquicas de 2013, voltou a dar o 'ar da 

sua graça'. Desta vez para reclamar a falta 

de atenção, uma vez que também também 

quer entrar na corrida a Belém.

Clube dos Pensadores

O candidato à Presidência da República, Sampaio da Nóvoa, foi convidado para o debate do Clube dos Pensadores desta segunda-feira à noite em Gaia, mas a sessão foi interrompida pelo 'mítico candidato-ninja’.
Manuel Almeida ficou conhecido por esta alcunha depois de ter concorrido à presidência da Câmara Municipal de Gaia, nas eleições de 2013, pelo Partido Trabalhista Português. Na altura aparecia na sala para pedir a atenção da comunicação social. 

Desta vez, foi no Hotel Holiday Inn, em Gaia, que deu o 'ar da sua graça' para pedir atenção para as presidenciais, uma vez que se quer candidatar. “Queria fazer uma pergunta ao camarada: Como é que as televisões só tomam atenção a si, que tal como eu também ainda não tem assinaturas [para formalizar a candidatura junto do Tribunal Constitucional] Eu também sou candidato!”, dizia, interrompendo Sampaio da Nóvoa.

Mas, sem dar tempo de resposta a Sampaio da Nóvoa, Manuel Almeida abandonou a sala, reporta o Diário de Notícias.

Na sequência destes acontecimentos, o Clube dos Pensadores enviou um comunicado ao Notícias Ao Minuto, onde garante que este é um espaço de debate, “sem inscrições prévias ou seriação de qualquer espécie”.

"Já houve ameaças de bomba com Jerónimo de Sousa, tentativa de boicotar o debate com Miguel Relvas , uma manifestação de dez pessoas com a ministra da Justiça. Desta vez", destaca o fundador do CdP, Joaquim Jorge, "um proto-candidato pediu para falar, foi-lhe dada a palavra e queixou-se que não tinha tempo de antena"



lusibero.blogspot.pt

30.06.15

Ministra alertada há cinco meses que Kamov podiam não estar a funcionar no Verão


antonio garrochinho

Ministra alertada há cinco meses que Kamov podiam não estar a funcionar no Verão


MARIANA OLIVEIRA 
30/06/2015 





Dos dez helicópteros que compunham a frota do Estado apenas estão a operar um aparelho pesado e dois ligeiros. A fase mais crítica dos fogos (a Charlie) começa esta quarta-feira.Um dos Kamov está parado desde Setembro de 2012, quando teve um acidente grave.

Governo garante que três dos cinco helicópteros Kamov podem combater incêndios
Protecção Civil confirma que só tem um helicóptero pesado do Estado operacional
IGAI investiga processo de transferência de helicópteros Kamov para novo operador
Protecção Civil garante que combater fogos com helicópteros sem seguro é um “risco controlado”
Época crítica de fogos começa em semana com termómetros a voltarem aos 40 graus
Helicóptero ligeiro da frota do Estado cai em Paços de Ferreira



A ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, recebeu uma carta no início de Fevereiro, alertando-a para a possibilidade de os helicópteros pesados Kamov, que integram a frota de meios aéreos do Estado, não estarem a operar na época em que habitualmente se concentram mais incêndios florestais.

A carta foi enviada por Pedro Silveira, presidente da Heliportugal, a empresa que vendeu os aparelhos e esteve a assegurar a sua manutenção até ao início deste mês. E a realidade veio dar-lhe razão: a um dia de entrar na fase Charlie, a mais crítica dos fogos, a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) só tem um dos seis Kamov a operar. E com o acidente desta segunda-feira, também os helicópteros ligeiros, inicialmente quatro Ecureuil B3, estão reduzidos a duas aeronaves.

No documento, o presidente da Heliportugal diz escrever à ministra depois “de vários pedidos de reunião quer por telefone, quer por email, quer por carta registada ao senhor presidente da ANPC”, manifestando uma “enorme apreensão com o que se está a passar com os helicópteros Kamov”. “É nosso sentimento que o país vai ficar sem estes meios aéreos disponíveis (...) exactamente no pior momento”, acrescentava a carta. 

No dispositivo de combate estava previsto que a ANPC tivesse ao seu dispor 49 meios aéreos para combater os incêndios entre 1 de Julho e 30 de Setembro. Mas, pelo menos no início desta fase, apenas poderá contar com 44 aparelhos, a esmagadora maioria ligeiros. Os meios aéreos pesados, usados no combate aos fogos de maior dimensão, estão reduzidos a um helicóptero Kamov e a dois aviões bombardeiros pesados, um número que contrasta com os sete previsto no dispositivo, que integra a frota do Estado e os aparelhos alugados. 

Em resposta ao PÚBLICO, a ANPC diz que conta ter durante o próximo mês os dois Kamov “com problemas mais ligeiros” a funcionar. Mas estas duas aeronaves ainda continuam paradas à espera da chegada de novos motores. Estes helicópteros estão inoperacionais, um desde 30 de Dezembro do ano passado e outro uns dias mais tarde, ou seja, ambos há mais de seis meses.

No penúltimo dia do ano, um dos Kamov teve um incidente grave em São Brás de Alportel, no Algarve, durante um voo para treinar a utilização do guincho usado para as missões de resgate e salvamento. Na sequência deste incidente, foi determinada uma inspecção aos motores de todos os helicópteros pesados, tendo-se detectado fissuras num outro motor, o que obrigou o aparelho a parar, explica o responsável pelo Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves, Álvaro Neves. Foi aberta uma investigação e, neste momento, as aeronaves ainda estão à guarda desta investigação. “Mal a Autoridade Nacional de Protecção Civil tenha os motores, liberto os aparelhos da investigação”, garante Álvaro Neves.

A ANPC não explica porque não mandou reparar mais cedo os aparelhos, atirando as culpas para a Heliportugal que diz era responsável pela “manutenção das aeronaves”. Pedro Silveira responde que a manutenção contratualizada era apenas a programada e, como tal, não incluía este tipo de reparação. Insiste que isso mesmo foi reconhecido pelo Ministério da Administração Interna que lançou um concurso no final de Maio para reparar estes aparelhos, com um preço base de três milhões de euros. Mas nem a Heliportugal, nem nenhuma outra empresa concorreu.

“O Estado foi atrasando o conserto destes helicópteros e depois queria obrigar-nos a fazer a reparação em 30 dias, o que era manifestamente impossível”, justifica Pedro Silveira. Mas isto só explica porque há dois helicópteros parados.

Um outro teve um acidente grave em Setembro de 2012 e, desde então, ou seja, há mais de dois anos e meio que não funciona. O Estado nunca teve dinheiro para o reparar. Isto porque, como se tem optado por não fazer seguros para aeronaves, cada vez que há um acidente ou um incidente grave o MAI fica com o total dos encargos. Por isso mesmo, o Estado nunca substituiu o helicóptero ligeiro destruído num acidente em Novembro de 2007, que provocou a morte do piloto da aeronave. Tal não acontecerá, contudo, com o aparelho acidentado esta segunda-feira, já que, actualmente, os helicópteros estão a ser operados por privados que possuem seguro dos aparelhos.

Um outro esteve envolvido num incidente em Agosto de 2013, que obrigou o aparelho a aterrar de emergência no aeródromo de Viseu. Esteve sem funcionar até há cerca de um mês, altura em que a Heliportugal o entregou à protecção civil após o Estado ter autorizado a reparação. Contudo, entretanto, foi detectado um problema num dos motores, tendo a ANPC responsabilizado a Heliportugal pela deficiente reparação. Pedro Silveira garante que o motor era novo e não tinha qualquer problema, atribuindo o problema às sete horas que a aeronave operou após a reparação.


lusibero.blogspot.pt

30.06.15

A Grécia mostra a Derrota da Política Troika-Passos Coelho-PS


antonio garrochinho

A Grécia mostra a Derrota da Política Troika-Passos Coelho-PS

PassosCoelhoeGréciaO Sr. Primeiro Ministro falou ontem em Braga sobre a crise provocada pelo ultimato da UE à Grécia devedora. Para dizer que temos um pé de meia e enfrantaremos a crise grega. O nosso Primeiro ministro não propõe uma ação: comenta a ação dos outros por certo por saber que o caso grego mostra a derrota da política que seguiu.
Todos sabemos que o Dr. Coelho aproiou a maneira dura da Srª Merkel face ao Sr. Tsipras; não, que o Dr. Coelho condenou a posição grega também não é um mito urbano. Se o Sr. Primeiro Ministro acreditasse na bondade dessa política, deveria continuar a reivindicar essa sua posição. Mas não reivindica.
Não reivindica porque, vendo ontem a subida do yield da nossa dívida, o Sr.Primeiro Ministro percebeu que seremos o próximo país a ser escorraçado do euro. E acontece isso porque a política do Dr. Coelho e da troika (e do PS) apenas maquilhou as debilidades estruturais da nossa economia; o défice de 5,8% no primeiro trimestre do corrente ano revela bem o caminho que nos falta percorrer e como estamos perto de voltar a resvalar, falhando a meta europeia de -2,7%. O Sr. Primeiro Ministro afirmou para se justificar: «ninguém pode dizer que está imune» aos acontecimentos gregos. O Economista Português, com pena, informa que o Dr. Coelho foi aconselhado sem exatidão por quem lhe recomendou tal linha de agitprop: os países que endireitaram as finanças públicas estão imunes em termos de dívida pública, apenas correndo riscos se jogaram mal na bolsa de valores. Ora o Dr. Coelho não falava como investidor em bolsa mas sim como responsável de um governo.
O leitor dirá: que importância tem isso! Do Caia para lá, ninguém liga ao Dr. Coelho (e proavelmente a qualquer primeiro ministro português, pelo menos a um do lote dos disponíveis), e por isso, mesmo que ele tivesse defendido uma solução portuguesa, nem gregos nem troianos o teriam escutado. Talvez a exclamação do leitor contenha uma tese exata, mas o grave é que o Dr. Passos Coelho votou o princípio da expulsão do Euro de um Estado devedor e assim avalizou, em nome do nosso país, a nossa futura expulsão daquela moeda.
as nossas oposições por onde andam? O PCP condenou a troika, os outros não acharem que valesse a pena fazerem-se ouvir. Os outros não os vimos nem ouvimos. Estarão a banhos numa praia barata, talvez na Caparica, e quando passar a procela grega explicar-nos–ão como são bons? Ou emigraram? Ou aguardam que chegue o libretto de Bruxelas, ou da internacional respetiva, para saberem que número representar? O PS terá dificuldade em iludir a questão pois aprovou a receita da troika até ao último sorvo fiscal e continua a não sentir a necessidade de apresentar um programa de reivindicações portuguesas na UE.
As declarações do Sr. Primeiro Ministro estão disponíveis em
aviagemdosargonautas.net