Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casepaga

casepaga

28.07.16

PRAIA DE FARO - Novidades do Verão: Passadiço e estacionamento exterior da Praia de Faro


antonio garrochinho



Este Verão, ir a banhos à Praia de Faro poderá ser bem menos complicado, para os que não se importam de andar um pouco junto à Ria formosa. Para isso, basta deixar o carro no novo parque de estacionamento exterior à praia e usar o passadiço em madeira pedonal e ciclável, que o liga à ponte para a Praia de Faro.

Tanto o parque de estacionamento, como o passadiço, foram oficialmente concluídos esta quarta-feira. Estas intervenções eram a parte que faltava de uma empreitada de maiores dimensões, que incluiu a requalificação da estrada entre a ponte e a chamada curva do Aeroporto, bem como a instalação de passagens hidráulicas neste troço de estrada, para permitir a circulação da água da Ria Formosa.

A obra causou constrangimentos no acesso à Praia de Faro durante algum tempo e foi muito criticada, tendo em conta a aproximação da época alta e os problemas de segurança que causou, mas terminou há cerca de um mês,poucos dias depois de ter começado o Verão.








Quanto à obra agora (definitivamente) concluída, tem duas facetas distintas. «Através da repavimentação do acesso à Praia de Faro e da criação de um passadiço paralelo dedicado em exclusivo à mobilidade suave, finalmente os peões e ciclistas obtêm uma perspectiva privilegiada sobre a Ria Formosa, ao mesmo tempo que vêem resolvido o conflito decorrente da convivência com o tráfego automóvel, melhorando assim as condições de segurança na via para todos os seus utentes», descreveu a Sociedade Polis Ria Formosa.

Já o parque de estacionamento tem «aproximadamente 1000 lugares, compreendendo ligeiros e pesados de transporte de passageiros» e permitirá «o alívio da carga automóvel sobre o frágil e debilitado sistema da Península do Ancão, podendo o trajeto até à Praia de Faro ser feito através do passadiço».

«Terminado o período estival, serão realizadas as plantações de material vegetal no parque de estacionamento, incluindo árvores de sombreamento, devendo-se o seu adiamento à necessidade de evitar um período crítico de altas temperaturas e reduzida humidade, que colocariam em risco o sucesso» das plantações, acrescentou a Polis.

A obra custou cerca de 1,5 milhões de euros e foi financiada com recurso ao capital social da Polis Litoral Ria Formosa, incluindo uma comparticipação da componente Câmara Municipal de Faro.

www.sulinformacao.pt

28.07.16

28 de Julho de 1945: Um bombardeiro do exército norte-americano choca com o Empire State Building, em Nova Iorque


antonio garrochinho

No dia 1 de Maio de 1931, foi inaugurado em Nova Iorque o Empire State Building, na esquina entre a Quinta Avenida e a Rua 34 Oeste. Com 102 andares e 443 metros de altura, era o edifício mais alto da cidade e do mundo, e iria manter essa posição durante  41 anos, até à inauguração da Torre Norte do World Trade Center em 1972.

Uma tragédia abalou o Empire State Building pouco antes do final da Segunda Guerra Mundial. Em finais de Julho de 1945, o Mundo estava numa espécie de interlúdio militar, depois da vitória dos Aliados sobre a Alemanha que tivera lugar em 8 de Maio e quando se concertavam as operações que conduziriam à inevitável derrota do Japão. As atenções da imprensa mundial estavam concentradas na Conferência de Potsdam, na Alemanha.

Em Nova Iorque, o dia 28 de Julho foi um sábado de nevoeiro apesar de já se estar em pleno Verão. Cerca das 9H30 da manhã, o tenente-coronel que pilotava um bombardeiro B-25 que levantara voo de Boston nessa mesma manhã, pediu autorização para aterrar no Aeroporto La Guardia. A torre de controlo do aeroporto informou-o que as condições de visibilidade eram nulas. Mesmo assim o piloto insistiu em fazer a aproximação à pista. Foi um erro. Não se vendo um palmo à frente do nariz, às 9H40 o bombardeiro B-25 acabou por embater contra a fachada norte do Empire State Building à altura do 79º andar, que está situado a uns 300 metros de altura. Sendo sábado, o edifício tinha apenas aproximadamente 1.500 pessoas em vez das 10 a 15.000 que ali estariam num dia útil. Em consequência do embate e do incêndio que imediatamente deflagrou houve 14 mortos (3 no avião, 11 no edifício) e 26 feridos.

Os bombeiros conseguiram controlar o incêndio em 40 minutos. Não foram os únicos profissionais à altura da situação. Ernie Sisto, um destemido fotógrafo profissional, acompanhou as equipas de salvamento e, ultrapassando os dois andares onde se dera o principal impacto, conseguiu, pendurado dos parapeitos e agarrado pelas pernas por dois ajudantes, tirar a fotografia que serviu de capa ao New York Times do dia seguinte.

O acidente causou um prejuízo de 500 mil dólares, passados dois dias o edifício foi reaberto.



 wikipedia (imagens)


VÍDEO


28.07.16

CONHEÇA O FUTEBOL ALPINO O NOVO DESPORTO RADICAL


antonio garrochinho



Um grupo de desportistas de Montafon, Áustria, inventou um novo desporto radical. De acordo com eles, o futebol jogado em outros países é fácil e qualquer um pode fazê-lo. Ademais áreas planas do tamanho de um campo de futebol são raramente encontradas nos Alpes e, quando você encontra uma, ela está geralmente sendo usada para outra coisa. Assim que deram um um passo adiante e criaram o Futebol Alpino Extremo. O futebol no seu mais difícil, uma vez que só é jogado nas encostas mais íngremes dos Alpes. E como tudo é mais difícil nos Alpes, o futebol não podia ser diferente.

VÍDEO

www.mdig.com.br

28.07.16

ASSOBIADOR - O SOBREIRO MAIS ANTIGO DO MUNDO


antonio garrochinho




Assobiador: o sobreiro mais antigo do mundo

É o sobreiro mais antigo do mundo e dele tem sido extraída cortiça ao longo de séculos. É conhecido como assobiador e encontra-se em Águas de Moura.


Chamam Assobiador ao maior e mais velho sobreiro do mundo. O nome deriva do som originado pelas numerosas aves canoras que pousam entre a sua ramagem, a mais de 14 metros de altura. O mais antigo e mais produtivo sobreiro existente no mundo é o Assobiador, em Águas de Moura, no Alentejo.



Plantado em 1783, este sobreiro tem mais de 14 metros de altura e 4,15 metros de perímetro do tronco. Deve o seu nome ao som originado pelas numerosas aves canoras que abriga na sua ramagem. Desde 1820, já foi descortiçado mais de vinte vezes. Em 1991, o seu descortiçamento resultou em 1200 kg de cortiça, mais do que a produção registada pela maioria dos sobreiros em toda a sua vida. Só esta extração deu origem a mais de cem mil rolhas.



Ainda que se possa contabilizar a sua contribuição directa para a indústria da cortiça – é uma árvore de excepção –, é impossível calcular quantos animais já abrigou, quantos outros alimentou com as suas bolotas, quanto contribuiu para a fertilização e irrigação dos terrenos e até para combater o aquecimento global.



Tal como o Assobiador na planície do Alentejo, milhões de outros sobreiros em toda a bacia mediterrânica suportam uma ecologia única e frágil que constitui um habitat para espécies raras ou em vias de extinção.



E não são apenas as mais de duzentas espécies de animais que encontram no montado as condições ideias de sobrevivência – por cada mil metros quadrados, podem ser encontradas 135 espécies de plantas, muitas delas medicinais, aromáticas ou usadas em culinária.



Estas florestas formam um dos ecossistemas mais ricos em biodiversidade, sendo reconhecidas pelas ONG ambientais como um dos 35 hotspots mundiais nesta matéria. Estão equiparadas a paraísos como a Amazónia, os Andes ou o Bornéu.



Perfeitamente adaptados ao clima quente e à terra árida, os montados protegem contra a erosão e a consequente desertificação e são uma barreira natural anti-incêndios, devido à fraca combustão da cortiça, que funciona como a epiderme do sobreiro.



As raízes retêm a água da chuva, formando bacias hidrográficas vitais, e retiram os nutrientes de níveis profundos, que mais tarde serão devolvidos ao solo através das folhas, transformando-se em adubo natural.



 ASSOBIADOR





28.07.16

O CAVALO BRANCO DE NAPOLEÃO


antonio garrochinho



Bonaparte franchissant le Grand Saint Bernard, Jacques Louis David
Antes mesmo de atingir a idade para entender quem foi Bonaparte, eu adorava a lançar a questão: qual é a cor do cavalo branco de Napoleão?


Vizir, no Les Invalides
Bem mais tarde conheci o cavalo das minhas piadinhas infantis no museu Invalides, em Paris, e descobri sua história.
Ele se chama Vizir e é um cavalo árabe inteiro – quer dizer não castrado – de cor cinza claro. Ele nasceu em 1793 e foi oferecido à Bonaparte pelo sultão do Império Otomano Selim III.


Vizir foi recentemente restaurado, Museu Invalides
Ele tem na sua perna esquerda a marca do haras imperial: um N coroado.
Em 1806 ele participou da famosa batalha Iéna e temos a seguinte descrição literária:
Na aurora, uma bruma espessa cobre o terreno. De repente o Imperador aparece e se posiciona diante das tropas montando Vizir, sob uma magnífica sela de veludo vermelho bordado de dourado.


La victoire est à nous ! Soir d’Iéna, 1806, Jean-Baptiste-Edouard Detaille, coll. musée de l’Armée.
Em 1807 ele conduziu Napoleão na terrível batalha de Eylau. Por causa da sua idade, 20 anos, ele não participou de outras batalhas.
Em 1814, quando Napoleão partiu para seu exílio na ilha de Elba, ele escolheu Vizir como acompanhante. Vizir foi instalado nas proximidades da residência de seu mestre. No ano seguinte, Napoleão e Vizir retornaram por alguns meses, mas o cavalo não participou da batalha de Waterloo.
Vizir é um dos personagens principais de obras de arte representando Napoleão Bonaparte.


Vizir, Pierre Martinet


Ele é um dos raros cavalos personagem central de um quadro, obra encomendada pela Manufacture de Sèvres. O pintor se chama Pierre Martinet e você pode comprar o poster da obra na loja dos Musées Nationaux (clique aqui).
Vizir morreu em 1826, após uma longa vida de 33 anos.
Coitado, sua trajetória post mortem foi movimentada em função de um contexto político complicado.
Após sua morte ele foi empalhado pela pessoa que se ocupava dele. Mas com medo de perdê-lo confiscado por forças inimigas, esta pessoa o entregou a um inglês residente no norte da França. Pelas mesmas razões, este inglês o passou para a frente e no final das contas ele aterrissou em Manchester, na Sociedade de História Natural. Mas antes de atravessar a fronteira, para não chamar a atenção, Vizir foi descosido, esvaziado e escondido nas bagagens.
Em 1868, a Sociedade que o detinha o devolveu para a França. Durante 30 anos ele viveu no sótão do museu do Louvre, dentro de uma caixa com a etiqueta: cavalo empalhado sobre o qual montava Napoleão e entregue pela Sociedade de História Natural de Manchester.
Em 1904, o diretor do Museu das Forças Armadas recém inaugurado – Les Invalides – o pediu ao Louvre e assim a trajetória de Vizir, nascido otomano, naturalizado francês, depois inglês, chegou ao fim. Uma última viagem o conduziu da margem direita à margem esquerda do Sena, onde, desde então, ele vive pertinho do túmulo do seu prestigioso cavaleiro.
Os cavalos foram personagens importantes durante as guerras napoleônicas e ocuparam um lugar central nas forças armadas do Imperador. Napoleão tinha à sua disposição inúmeros cavalos ditos “du rang de sa magesté” ou dignos da sua majestade. Eles viviam nos castelos de Versailles, Tuileries, Saint Cloud e Fontainebleau e em todas as residencias imperiais para que o Imperador pudesse chegar e partir a qualquer momento.
Napoleão teve outros cavalos célebres como o Marengo que, machucado e capturado pelos ingleses, vive hoje em forma de esqueleto no National Army Museum de Londres.
Napoleão montava cavalos de todas as raças mas tinha uma preferência pelos árabes.

www.conexaoparis.com.br

28.07.16

AS FAMOSAS ATERRAGENS PARALELAS NO AEROPORTO DE SAN FRANCISCO


antonio garrochinho

Um Boeing 777 da Asiana e um 757 da United


Nos Estados Unidos é comum ver esse tipo de operação com frequência. Não só as companhias, pilotos e pessoal do controle estão acostumados a esse procedimento como pesa contra nosso país o fato de termos na prática apenas um aeroporto com pistas paralelas suficientemente distantes para executar essa manobra com segurança,
Mas mesmo nele, as primeiras experiências acabaram sendo frustrantes e os pousos desse gênero, suspensos por ora. Mas quando vemos o que o aeroporto de San Francisco, na California, é capaz de fazer, certamente uma sensação de incredulidade vem à tona.O aeroporto possui quatro pistas que se cruzem como numa cruz. As duas maiores (10L/28R e 10R e 28L) tem entre  e 3,5 mil e 3,6 mil e são usadas com mais frequência. E é nelas que vemos algumas das mais impressionantes aproximações.
Com uma distância entre os eixos de menos de 230 metros, as duas pistas são palco de pousos praticamente simultâneos, com aeronaves lado a lado a ponto de ser possível assistir a aproximação do outro avião como se você estivesse no palco de um cinema. Airway separou a seguir alguns vídeos que mostram esses fabulosos pousos e como o treinamento e a preocupação com segurança podem tornar essa proeza em algo rotineiro.

VÍDEOS


Um passageiro a bordo de um Embraer Emb-120 Brasilia grava o pouso de um Airbus A319

Um Boeing 737 da Southwest (acredite, em primeiro plano) toca um pouco antes de um Boeing 747-400 da United

A bordo de um A320 da Virgin, o passageiro assiste de camarote ao pouso de um 777 da Asiana

airway.uol.com.br

28.07.16

CONHEÇA AQUI ALGUMAS CURIOSIDADES SOBRE EVA BRAUN


antonio garrochinho



Como você deve saber, Adolf Hitler cometeu suicídio em seu bunker no dia 30 de abril de 1945 — quando ficou claro que ele havia perdido a guerra de vez e as tropas soviéticas estavam prestes a capturá-lo. Contudo, o Führer não estava sozinho quando se matou com um tiro na cabeça. Ele estava acompanhado de sua esposa, Eva Braun, que também acabou com a própria vida ingerindo uma cápsula de cianeto.
Porém, o que mais se sabe sobre essa mulher — que passou diversos anos ao lado de um dos personagens mais odiados da História e inclusive chegou a se casar legalmente com ele? Descubra alguns fatos dramáticos e interessantes sobre a vida de Eva Braun a seguir:
Publicidade

1 – Ela realmente se apaixonou por Hitler

Eva Braun conheceu Adolf Hitler quando ela tinha 17 anos de idade — e ele 40 —, antes de ele subir ao poder na Alemanha, o que significa que a jovem não sabia quem era o homem diante dela, sem falar que, quando os dois foram apresentados, Hitler deu a Eva um nome falso, dizendo que se chamava Herr Wolff.
Ela trabalhava como modelo quando conheceu Hitler
Surpreendentemente, Eva se sentiu imediatamente atraída por Hitler, e o interesse foi recíproco. Com o tempo, o Führer começou a convidar a moça para acompanhá-lo em todo tipo de programa — como para ir ao cinema, à ópera, a jantares etc. —, e ela acabou se apaixonando de vez pelo futuro ditador. Entretanto...

2 – Ela não era a mulher que Hitler amava de verdade

Bem, pelo menos no início do relacionamento com Eva Braun, Hitler estava vivendo com outra mulher — sua sobrinha Geli Raubal. Apesar do parentesco, tudo parece indicar que o Führer amava a moça perdidamente e, para a sua frustração, ele não era correspondido. Tanto que a jovem pretendia se casar com outro homem e, quando anunciou ao tio que havia decidido se mudar para Viena, ele ficou enfurecido.
Geli Raubal, quando ainda era criança
A versão oficial da história é que Geli Raubal cometeu suicídio depois de passar a noite inteira discutindo com o tio possessivo. E, independente de isso ser verdade ou não, Eva Braun já estava na jogada — e aproveitou a oportunidade para consolar o desolado Hitler. O relacionamento dos dois decolou a partir desse episódio, mas Eva devia ter fugido para as colinas em vez de se aproximar do Führer!
Geli Raubal já maiorzinha
Isso porque Geli Raubal não foi a única mulher próxima a Hitler a cometer suicídio. Segundo os historiadores, nada menos do que oito mulheres com as quais o Führer teria se envolvido tentaram ou conseguiram tirar as próprias vidas — entre elas uma famosa atriz alemã chamada Renate Müller, que morreu no auge de sua carreira. Aliás, dessas mulheres todas, apenas Geli veio antes de Eva, o que significa que Hitler a traía com bastante frequência.

3 – Ela tentou cometer suicídio mais de uma vez

Eva, conforme mencionamos no comecinho da matéria, se matou juntamente com Hitler. Mas ela já havia atentado contra a própria vida em outras duas ocasiões — uma delas quando descobriu que o Führer estava arrastando suas asas para os lados de Renate Müller. Ao ficar sabendo do suposto romance, Braun, com 20 anos na época, pegou uma pistola de seu pai e puxou o gatilho.
A atriz Renate Müller
Por sorte — ou propositalmente, vai saber... —, Eva sobreviveu aos ferimentos e inclusive foi capaz de telefonar ela mesma para o médico de Hitler. Na verdade, tudo indica que a coisa toda não passou de uma tentativa desesperada de Braun de chamar a atenção do Führer, e a artimanha surtiu algum efeito, já que ele foi visitá-la no hospital com um buquê de flores nas mãos e a promessa de que cuidaria direito dela dali para frente. Até parece...
Pobre Eva
Cerca de três anos depois, após Eva não saber nada de Hitler por alguns meses, ela descobriu que ele estava com outra mulher — e não deu outra! Braun tomou entre 20 e 35 (dependendo da fonte consultada) pílulas para dormir e provavelmente teria morrido se não tivesse sido encontrada por sua irmã. O Führer, mais uma vez, voltou para ela cheio de promessas vazias, e Eva, coitada, acreditou.

4 – Hitler escondia seu relacionamento com Eva

Apesar de todas as promessas que Hitler fez a Eva, ele nunca foi um grande companheiro — e só se casou com ela na véspera de morrer. Na verdade, embora Braun vivesse com o Führer, ela só podia ser vista na casa quando os amigos mais íntimos dele apareciam para visitar. Caso o Chanceler recebesse alguma autoridade, Eva era obrigada a ficar trancafiada em um quarto ao lado do quarto de Hitler para que ninguém desconfiasse de sua presença.
Ele nomeou Eva sua secretária particular para justificar a presença constante dela ao seu lado
Como se fosse pouco, o Führer também desdenhava de Eva com frequência diante de seus amigos, dizendo coisa do tipo: “um homem altamente inteligente só deveria se envolver com mulheres primitivas e estúpidas” ou, ainda, “imagine se eu tivesse que lidar com uma mulher que interferisse no meu trabalho!”.
Ele só se casou com Braun na véspera de sua morte
Com o tempo, Hitler decidiu nomear Eva como sua “secretária particular” para poder justificar sua presença constante ao seu lado; contudo, mesmo assim, toda vez que ela entrava ou saía da residência do Führer — e sua! —, era obrigada a fazer isso discretamente, usando uma porta nos fundos da casa para não ser vista por ninguém.

5 – Ela se recusou a abandonar Hitler

Conforme a Segunda Guerra Mundial foi chegando ao final e ficou evidente que a Alemanha cairia, os soldados soviéticos invadiram Berlin e começaram a caçada a Adolf Hitler. Era claro que, quando o Führer fosse encontrado, ele e seus seguidores mais próximos seriam assassinados. Portanto, a vida de Eva Braun corria sério perigo — mas ela simplesmente se recusou a abandonar Hitler.
Eva Braun ficou com o Führer até o final
Várias pessoas tentaram persuadir Eva a fugir enquanto ainda havia tempo, incluindo Henriette von Schirach, esposa do líder da Juventude Hitlerista, mas ela negou todas as ofertas. E, em 1944, quando as coisas começaram a ficar feias para a Alemanha, Braun fez um testamento em que dizia que se suicidaria caso Hitler morresse e alertou que ninguém a impediria. Pelo menos, sabemos que ela, ao contrário dele, era capaz de cumprir suas promessas!
www.megacurioso.com.br